• Wednesday , 22 November 2017

O goleiro americano e os desafios da Síndrome de Tourette

Imagem veiculada na entrevista fornecida pelo goleiro americano ao SportTV

Imagens da entrevista fornecida pelo goleiro americano ao SportTV

“Futebol é importante, mas é só um jogo, ter Tourette é minha vida de todo dia”
(Tim Howard, em entrevista exclusiva para o SportTV)

A derrota da seleção americana para a Bélgica, desclassificando-a da Copa do Mundo, não tirou o brilho da equipe, que surpreendeu torcedores e imprensa em todo o mundo com o bom futebol. Destaque na última partida, o goleiro Tim Howard fez uma dezena de defesas que deram mais chances ao grupo de lutar pela vaga. Tarefa das mais difíceis para qualquer jogador que encara uma posição tão ingrata em campo. Das muitas entrevistas e declarações dadas pelo goleiro, uma exclusiva, feita ao SportTV, mostra que os desafios do atleta tiveram início bem longe dos campos. Tim Howard é portador da Síndrome de Tourette.

Caracterizada por tiques motores e sonoros que podem começar com movimentos simples como o piscar dos olhos e mudam constantemente de padrão ou intensidade, a doença neuropsiquiátrica que não tem cura, afeta 1% da população mundial.

A desordem entrou para vida de Howard quando ele tinha 9 anos. Assim como muitas crianças com este ou outros transtornos mentais, o goleiro fala durante a entrevista sobre o preconceito e de como a falta de experiência e auto conhecimento foram barreiras que precisaram ser superadas, especialmente na juventude.

“Sofro mais durante os jogos do que em outras horas porque tem muita ansiedade, emoções afloradas, pressão que evocam os tiques e espasmos. Eu não sei se posso controlar, mas eu entendo como meu corpo trabalha, como isso me afeta. E eu aprendi lidar melhor”, afirma Howard em entrevista ao canal SportTV.

Para comentar, outra entrevistada, a psiquiatra Ana Hounie, supervisora do ambulatório de TOC e Síndrome de Tourette na Unidade de Psiquiatria da Infância e Adolescência da UNIFESP, afirma que, em geral, quando um portador da doença está em situação de concentração é possível que os tiques diminuam e se mantenham controlados. No caso do goleiro, “teria ou que fazer força para se controlar ou que esses tiques diminuam espontaneamente quando ele está concentrado”, explica a médica durante a reportagem.

A Síndrome de Tourette dá seus primeiros sinais na infância. Estudos e pesquisas têm avançado nos últimos anos e trazido à tona mais informações sobre o transtorno, mas ainda há poucos especialistas no Brasil.

Para Hounie, considerada hoje uma das principais autoridades no País sobre a doença, a conscientização, especialmente dos pediatras, é uma das formas mais eficientes de reconhecer os primeiros sintomas do transtorno e iniciar o tratamento precoce. Quando isso acontece, o prognóstico melhora significativamente e os pacientes, assim como Howard, têm boas chances de seguir com uma vida normal.

Saiba mais sobre a história do goleiro Tim Howard – tradução do blog Clic Nervoso

Leia
Tiques, Cacoetes, Síndrome de Tourette – Um Manual para Pacientes, seus Familiares, Educadores e Profissionais de Saúde, de  Ana Gabriela Hounie e Eurípedes C. Miguel, editora Artmed.

Assista

Filmes
O líder da Classe
A menina no país das maravilhas

Vídeo
Associação Americana de Síndrome de Tourette e HBO

Saiba mais
Blog mantido pela dra Ana Hounie – http://toctourette.blogspot.com.br/
Canal saúde Oficial

Encontre apoio
ASTOC – Associação Brasileira de Síndrome de Tourette, Tiques e Transtorno Obsessivo Compulsivo – www.astoc.org.br
Protoc – Projeto Transtornos do Espectro Obsessivo-Compulsivo – http://www.protoc.com.br/

Fonte: SportTV

Quer contribuir com mais informações sobre este tema? Fica o convite: mande um e-mail indicando entidades e lugares onde você encontrou aquilo que muito gente ainda procura.

Posts Relacionados

Deixe um comentário